PROCEDIMENTOS • TOXINA BOTULÍNICA NA NEUROLOGIA

Toxina Botulínica na Neurologia na Casa da Esperança. Diagnósticos rápidos e precisos com segurança para você e seu médico.

MUITO ALÉM DA ESTÉTICA

Não é só na medicina estética onde é utilizada para suavizar rugas de expressão, que ela faz sucesso. É, sobretudo, na área da Neurologia, que a toxina botulínica tem seus efeitos comprovados há mais tempo. A Toxina Botulínica é especialmente indicada em pacientes que sofrem de problemas neurológicos e seqüelas motoras desencadeadas por derrame cerebral, paralisia cerebral e distonia cervical.

A aplicação do produto nesse tipo de paciente é indicada para reduzir a espasticidade (mal que provoca rigidez excessiva na contração dos músculos), favorecendo a reabilitação e proporcionando um maior rendimento no tratamento. Isso acontece porque a toxina paralisa temporariamente os atos reflexos, que deixam a região mais relaxada. Com isso, os terapeutas têm a oportunidade de movimentar melhor as articulações e posicionar de forma mais apropriada o corpo do paciente, com menos dor e incômodo para o mesmo.

É importante lembrar que a toxina é parte importante do processo de reabilitação, mas, sozinha, pouco ajuda. Aplicar e não fazer mais nada geralmente não é suficiente, porque o produto não faz uma pessoa voltar a andar e nem faz a paralisia desaparecer. A utilização deve estar sempre associada a um tratamento multidisciplinar entre neurologista, ortopedista, fisiatra, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, psicólogo e outros profissionais. Um exemplo é o caso de pacientes que apresentam pernas e/ou braços enrijecidos, decorrentes de lesão neurológica central, como por exemplo: lesões medulares, tetraplegias, paralisias cerebrais, sequelados por AVC, esclerose múltipla, etc. Já em outras doenças, em que não há necessidade de tratamento multidisciplinar conjunto, a toxina funciona como tratamento.

DURAÇÃO

Para obter o máximo benefício, são necessárias aplicações seguidas do medicamento, que tem a duração de três a quatro meses, em média. Se, nesse período, o paciente fez todo o tratamento multidisciplinar corretamente, ele ganhou maior controle neurológico. Esse ganho se mantém mesmo após o término do efeito da toxina. Esta é a grande vantagem da utilização do medicamento na neurologia.

A toxina pode ser aplicada em qualquer idade e em qualquer fase da vida, dependendo da necessidade de cada paciente. Em geral, os convênios médicos cobrem o procedimento, que é considerado de grande valor no tratamento das doenças neurológicas. Existem outros medicamentos, porém, eles podem causar sonolência, entre outros efeitos colaterais. A aplicação da toxina botulínica, além de ser um procedimento rápido e seguro, é pouco invasiva e tem pouquíssimos efeitos colaterais. Se houver necessidade, pode-se usar sedação durante o procedimento, principalmente em crianças.

OUTRAS APLICAÇÔES

A toxina botulínica chegou ao Brasil em 1992 e tem seu uso aprovado pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância sanitária considerada uma revolucionária opção terapêutica pouco invasiva no tratamento de pacientes que sofrem de problemas neurológicos e seqüelas motoras.

A partir de 2000, o medicamento tornou-se muito conhecido para o tratamento das rugas de expressão pelos seus rápidos resultados. A substância promove o relaxamento dos músculos, que causam rugas na face, deixando a expressão mais suave, sem – ou quase sem – linhas e vincos.

Além de ter seu uso aprovado na medicina estética, a toxina também tem o aval da ANVISA para ser utilizada nos casos de:

– Bexiga hiperativa

– Blefaroespasmo

– Espasmo hemifacial

– Distonias

– Espasticidade

– Estrabismo e hiperhidrose